segunda-feira, 25 de maio de 2009

ECONOMIA DE ENERGIA

video

Sacolas Ecológicas

video

As sacolas ecológicas vem como fator preponderante para reduzir a poluição causada pelas sacolinhas plásticas derivadas do petróleo. O plástico demora em média de 200 a 400 anos para se decompor. Tempo o bastante para prejudicar e poluir a natureza.

As sacolas ecológicas são reutilizáveis e duradouras. Permitem que sejam lavadas, dobradas, e não ocupam muito espaço na hora de guardar. Elas são feitas de tecídos ecologicamente corretos, e algumas até possuem poliester derivado da reciclagem de garrafas pet.

O Projeto Preserve já possui para comercialização as sacolas feitas a partir do algodão cru.

Ligue e faça já o seu pedido

Scherson JÜNGER - 33 8835.4074

Bruno Fernandes - 33 8413.5635

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Exemplo de Iniciativa

A Gráfica Modelo teve uma bela iniciativa e mostrou ser pioneira mais uma vez. Em 2009 lançou seus calendários ecológicos. As peças foram feitas em papel reciclado. E para criar uma expectativa ainda maior, o assunto tratado foi direcionado para a reciclagem e preservação. A cada mês, um pequeno texto traz informações sobre os papéis, os plásticos, os vidros e os metais nos quatro primeiros meses. Nos outros meses a abordagem foi relacionada à fauna e flora brasileira, um alerta que busca a reflexão sobre o assunto da preservação ambiental. E para dar um toque especial ao conteúdo novo, foi desenvolvido um novo logotipo com a finalidade de ser apresentado toda vez em que o assunto se tratar de preservação e reciclagem. O projeto PRESERVE está muito feliz por ter o apoio da Gráfica Modelo e deixa aqui os seus sinceros agradecimentos. Scherson JÜNGER

sábado, 2 de maio de 2009

COSMÉTICOS ecologicamente corretos



ECO.beleza

A indústria de cosméticos também aderiu à produção sustentável e está lançando no mercado produtos sem nenhum composto de origem animal. Os shampoos e condicionadores são feitos com matérias-primas renováveis, ou seja, aquelas que não agridem ao meio ambiente.

Sem gordura animal, óleo mineral ou álcool em sua formulação. Os óleos de palma e palmiste, matéria-prima dos sabonetes, são puros, naturais e extraídos de fontes renováveis. São fabricados com a preocupação de preservar o meio ambiente e por isso podem ser despejados na rede de esgoto sem que poluam os rios.

Os óleos de massagem não possuem o tradicional óleo mineral em sua fórmula. Em seu lugar, uma mistura dos óleos vegetais de semente de uva, que ajuda a manter e regenerar o tecido cutâneo, além de prevenir estrias; germe de trigo, que tem ação hidratante, resgatando a vitalidade e melhorando a elasticidade da pele; e girassol, que deixa a derme mais macia e atua como excelente deslizante para massagens.

FONTE: http://mundoest.com.br/index_pt.php

quinta-feira, 30 de abril de 2009

ISSO É POLÍTICA

A capital mineira entrou na luta contra o uso de sacolas plásticas. Uma tendência cada vez mais difundida na Europa tem chances de aportar em Belo Horizonte: a restrição ou proibição do uso de sacolas plásticas nos supermercados e demais stabelecimentos comerciais.

O vereador Arnaldo Godoy (PT) protocolou na Câmara Municipal um projeto de lei que determina a substituição dessas embalagens por outras confeccionadas com material biodegradável, menos agressivas ao meio ambiente.

Como alternativa ao plástico, a proposta sugere o uso de sacos feitos a partir de substâncias chamadas de oxibiodegradáveis, que levam até 18 meses para se decompor. Os tradicionais podem contaminar a natureza por mais de cem anos.

“O importante é conscientizar os donos de supermercados sobre a necessidade de se usar esses materiais menos poluentes, mas sem repassar o preço desse custo ao consumidor”, afirma Daivis.

O projeto apresentado na Câmara exige que os sacos de lixo também sejam feitos de material biodegradável.

A chamada luta contra a “plasticomania” ainda é tímida no Brasil. Ela ganhou força na Europa na década passada. Na Irlanda, o consumidor paga desde 1997 um imposto de nove centavos de libra por cada sacola de plástico, o que estimulou a diminuição em 90% do consumo. O dinheiro é destinado a um fundo de gestão do lixo.

Na Alemanha, quem não anda com sua própria sacola a tiracolo é obrigado a pagar uma taxa extra pelo uso dos sacos plásticos nas lojas.

Nos Estados Unidos, em um esforço para preservar o meio ambiente, a cidade de São Francisco, aprovou na semana passada um projeto que proíbe a comercialização nos grandes supermercados de sacos plásticos fabricados a partir de substâncias derivadas do petróleo.

FONTE: http://funverde.wordpress.com/2007/04/04/o-projeto-sacolas-ecologicas-se-espalha-pelo-brasil/

OBS:
Com tantos exemplos e modelos de preservação espalhados pelo mundo, esta é a hora da nossa cidade se manifestar e deixar também que todos possam fazer sua parte. Existem muitos talentos que estão sendo lapidados por aqui, e estas oportunidades não devem simplesmente passar sem que sejam percebidas. É hora de mudar. É hora de sermos sustentáveis. PRESERVE

Por: Scherson Jünger

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Consciência Ambiental

SACOLAS ECOLÓGICAS
A realização do projeto está sendo feita pela prefeitura municipal de Xanxerê, através da secretaria de educação que estão fazendo um trabalho de conscientização e sensibilização com os alunos da rede municipal de ensino.
Também a Secretaria Estadual Educação de Santa Catarina, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Xanxerê e a Agenda XXI abraçaram esta idéia e se tornaram parceiros do projeto e estão fazendo um trabalho de divulgação do projeto junto aos alunos da rede estadual de ensino.
Antes mesmo do lançamento do projeto, a idéia já tomou uma dimensão muito maior que o esperado e agora locadoras, livrarias, lojas e farmácias também estão aderindo ao projeto.
Um belo exemplo da cidade de Santa Catarina, mostrando não só ao Brasil mas como também ao mundo que é possível sim preservar a natureza. Essas sacolas ecológicas foram desenvolvidas para serem reutilizadas, a partir do material do qual são produzidas, que é a lona ou algodão em grande parte. A idéia do projeto tem como finalidade primordial a substituição das sacolas plásticas.
Parabéns aos supermercadistas de Xanxerê que assumiram sua parcela de responsabilidade ambiental, parabéns à prefeitura de Xanxerê, parabéns a Santa Catarina e finalmente parabéns à humanidade que ganha agora uma nova chance de ter um futuro.

domingo, 12 de abril de 2009

Água: da abundância à escassez

Estudiosos prevêem que em breve a água será causa principal de conflitos entre nações. Há sinais dessa tensão em áreas do planeta como Oriente Médio e África. Mas também os brasileiros, que sempre se consideraram dotados de fontes inesgotáveis, vêem algumas de suas cidades sofrerem falta de água. A distribuição desigual é causa maior de problemas. Entre os países, o Brasil é privilegiado com 12% da água doce superficial no mundo.
Outro foco de dificuldades é a distância entre fontes e centros consumidores. É o caso da Califórnia (EUA), que depende para abastecimento até de neve derretida no distante Colorado. E também é o caso da cidade de São Paulo, que, embora nascida na confluência de vários rios, viu a poluição tornar imprestáveis para consumo as fontes próximas e tem de captar água de bacias distantes, alterando cursos de rios e a distribuição natural da água na região. Na última década, a quantidade de água distribuída aos brasileiros cresceu 30%, mas quase dobrou a proporção de água sem tratamento (de 3,9% para 7,2%) e o desperdício ainda assusta: 45% de toda a água ofertada pelos sistemas públicos.
Embora o Brasil seja o primeiro país em disponibilidade hídrica em rios do mundo, a poluição e o uso inadequado comprometem esse recurso em várias regiões do País.
O cenário de escassez se deve não apenas à irregularidade na distribuição da água e ao aumento das demandas - o que muitas vezes pode gerar conflitos de uso – mas também ao fato de que, nos últimos 50 anos, a degradação da qualidade da água aumentou em níveis alarmantes. Atualmente, grandes centros urbanos, industriais e áreas de desenvolvimento agrícola com grande uso de adubos químicos e agrotóxicos já enfrentam a falta de qualidade da água, o que pode gerar graves problemas de saúde pública.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Consumo Sustentável

É fácil percebe que hoje o mundo está em crise! E por mais que ela seja apenas psicológica em alguns lugares, não quer dizer que ela não exista. O interessante desse momento crucial para a humanidade é o nascimento de novas oportunidades, que nem sempre são percebidas por todos.
Em se tratando de meio ambiente, é possível registrar que a onda do momento é utilizar no processo produtivo materias-primas recicladas. A industria téxtil por exemplo já se alertou para as futuras necessidades de seus consumidores. Como também está se preocupando com um possível fim dos recursos naturais, e assim passou a produzir tecidos com 50% de algodão e 50% de pet reciclado.
Não muito longe, a industria automobilistica está lançando no mercado carros que consomem menos energia e poluem menos o ar. Tendo como exemplo um belíssimo carro apresentado na Feira do Automóvel de Paris, o Citroën C-Métisse trata-se de um protótipo fascinante que recorre à tecnologia Diesel híbrida; isto é, que possui um motor elétrico que entra em funcionamento quando as circunstâncias o requerem, para reduzir a emissão de gases e manter uma condução suave e silenciosa. Seu elegante desenho impacta a primeira vista, especialmente por suas dimensões: 4.74 metros de comprimento por 2 de largura e 1.24 metros de altura. Veja foto abaixo.

Hoje em dia também é possível manter o agronegócio sem agredir a natureza, por meio de produtos biorracionais, 100% naturais e ecologicamente corretos para os mais diversos segmentos do mercado. Esses produtos mantém a saúde do negócio sem prejudicar o meio ambiente.

A preocupação em mudar os métodos de produção direcionados ao consumo de massa hoje não coloca em questão apenas o fim dos recursos naturais, mas como também o surgimento de uma consciência ambiental que muda o comportamento dos consumidores, os quais só irão adquirir aqueles produtos que carregarem consigo o ISO 14000 e outros fatores preponderantes ao movivento de sustentabilidade do planeta.

É hora de mudar, de crescer, de sermos sustentáveis sem agredir a natureza.

Por: Scherson JÜNGER

Design e Decoração Ecologicamente Correta

A reutilização de papelão na fabricação de móveis é algo muito inovador e benéfico para o meio ambiente.
A Nothing é uma nova agência de publicidade de Amsterdã que inovou ao reutilizar papelão em quase toda sua estrutura interna. São mesas, cadeiras, divisórias, teto e até mesmo escadas feitas com a reutilização do material.

A iniciativa é o coração de uma idéia.!!

Fonte: http://pensandoverde.blogtv.uol.com.br/design

terça-feira, 7 de abril de 2009

Etanol Brasileiro

Etanol brasileiro reduz em mais de 73% as emissões de gases de efeito estufa. Feito de cana-de-açúcar, torna-se mais limpo em comparação à gasolina e o despejo de poluentes no ar seria entre 73% e 80% menor. Se toda a frota brasileira substituísse o combustível fóssil pelo álcool, seriam evitadas as emissões de 53 milhões de toneladas de CO2 por hectare, por ano. Um carro movido a álcool percorre 7,2 quilômetros por litro enquanto um movido à gasolina anda 10,4 quilômetros com mesmo volume. Outro fator contabilizado é a estimativa de que 60% da área para plantio de cana no país seja queimada no momento da colheita. “A partir do momento em que o Brasil extinguir esse movimento, a mitigação vai aumentar de 80% para 86%”. A expectativa é que o novo levantamento, mais adequado à realidade brasileira, traga percentuais ainda mais positivos.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

AcquaBank - O único banco de água do mundo

O AcquaBank é uma instituição que investe e aposta em um ativo que terá muito valor no futuro, a água. É o único banco de água do mundo. Nele você investe em água, formando uma poupança que vai garantir água para seus investidores no futuro. Disponibiliza Capitalização, Previdência, Seguro de Vida, Investimentos e Cartão de Crédito, todos voltados para a água. A estratégia de lançamento da marca, assinada pela Agência3, conta com site e com filmes dos principais produtos da empresa, que estão sendo lançados nesta semana. Essa foi a forma que a Eletronuclear usou para alertar as pessoas sobre a necessidade do consumo consciente da água, afinal de contas, se o homem continuar poluindo e desperdiçando, é bem provável que uma instituição como essa venha a existir. O tom de piada dos textos, muitas vezes surreais, contrasta com informações reais sobre o problema. O projeto traz sempre uma informação real sobre o mal uso da água e é recheado de humor. O produto WaterSeguros, por exemplo, assina: “Sua família não vai precisar economizar nem nas lágrimas.” O projeto e o planejamento são de Léo Brossa, com criação de Ana Accioly, Rafael Ferrer e Fred Ferrer. Animações, composição e trilha de Gerson do Amaral e Marcio Thees. Produção de Fábio Vinteira. Direção de criação de Luis Claudio Salvestroni. Atendimento de Cândida Quadrelli e Monique Baldasso. 28 de março de 2009 / por vborges

segunda-feira, 30 de março de 2009

Conceituação do Projeto PRESERVE

"Não salvaremos tudo que gostaríamos,
mas salvaremos muito mais do que
se nunca tivéssemos tentado".
Sir Peter Scott
(fundado do WWF)